Projeto de Vida: Qual é o seu?

Oi pessoal, tudo bem?

Todos nós temos sonhos, sempre estamos desejando atingir objetivos, alguns deles consideramos quase inalcançáveis. Mas como conseguir realizar os nossos sonhos? Um caminho é planejamento por meio de um projeto de vida.

Por muitos anos eu não sabia muito bem quem eu era, o que eu queria, ou o que vim fazer nesse mundo. Talvez você já tenha pensado algo parecido, ou esteja pensando sobre isso agora. Se você não sabe o que quer nem onde quer chegar, como pode saber qual caminho seguir, quais decisões tomar? É muito importante tirar um tempo para refletir sobre a seguinte questão: “O que eu mais quero na vida?” E quando for responder não adianta dar respostas vagas, como “Quero ser feliz”. Ser feliz todo mundo quer, e tem significados diferentes para pessoas diferentes, tem que ser mais específico. Por exemplo: “Meu sonho é viajar o mundo inteiro.” “Gostaria de falar vários idiomas.” “Sempre quis ter meu próprio negócio.” “Sonho em ser mãe e construir minha família.” O caminho aqui é pensar no que te faria feliz, fazer uma lista dessas coisas que você desejaria muito ser ou fazer.

Depois que você tiver uma lista dos seus maiores sonhos, das coisas que mais gostaria de fazer, comece a analisar os seus desejos e veja quais são os mais simples e fáceis de atingir agora mesmo, ou num futuro próximo. Alguns exemplos são: alguma mudança no visual, conhecer algum lugar próximo de casa, como um ponto turístico ou restaurante. Quais os que pode realizar à médio prazo (dentro de alguns meses)? Viagens, troca de carro, compra de algum móvel para casa, algum curso que gostaria de fazer, mudança de emprego. E quais podem ser classificados em sonhos à longo prazo (que você realizaria dentro de alguns anos)? Casamento, compra de um imóvel, mudança de país, filhos, mudança de área profissional. Organize os seus sonhos de acordo com o tempo em que você acredita que demoraria para realizá-los.

Agora você pode estar pensando: “Juliana, tudo bem organizar os sonhos, eu já sei disso, mas como faço para realizá-los?” A resposta que tenho para você é: Aprenda a tomar decisões, e a fazer boas escolhas. Uma coisa que aprendi e tenho colocado em prática na hora de tomar decisões é sempre me fazer a seguinte questão, toda vez em que estou em dúvida sobre alguma coisa na vida:  “Se eu escolher esse caminho eu vou estar mais perto de atingir o que eu mais quero na vida?” Sempre que a resposta for sim, eu sigo esse caminho. Se for não, eu deixo de lado. Isso serve desde para grandes decisões quanto para pequenas do dia-a-dia.

Pense num sonho a ser realizado à curto prazo, por exemplo uma mudança no visual, como um corte de cabelo. Para isso você precisa apenas de dinheiro e um pouco de coragem. Em relação à coragem eu digo pra você que se está pensando nisso há algum tempo, faça! Porque cabelo cresce, e se você não fizer vai ficar com isso na cabeça e nunca vai saber se gostou ou não. Então procure um profissional de confiança e seu único “problema seria o dinheiro”. Algumas pessoas nunca têm dinheiro, mesmo que ganhem um bom salário. Isso se deve às más decisões do dia-a-dia. Se seu objetivo à curto prazo é um corte de cabelo, quando você pensar se deve ou não tomar aquele cafézinho na confeitaria chique, se deve comprar aquele sorvete, aquela bugiganga da lojinha de 1,99 que você nunca vai usar pra nada, esses gastos bobos que pensamos que não vão pesar no orçamento, mas acabam pesando, sabe, né? Quando você se deparar com essas tentaçõezinhas você vai lembrar do seu objetivo e vai dizer não, porque no momento o seu objetivo é o novo corte, e não o café, não o sorvete, etc.

Eu não estou dizendo aqui que gastar dinheiro com café, sorvete, etc é errado. Estou dizendo para você priorizar o que realmente te faz feliz. Se um dos seus desejos é conhecer as melhores cafeterias, priorize gastar seu dinheiro conhecendo as melhores cafeterias, e não no cabeleireiro, nem em outras coisas, entendeu? O problema é você não saber quais são os seus sonhos e desperdiçar o seu tempo e recursos em coisas que não te fazem feliz. No final você ficará com peso na consciência porque você nunca faz nada do que você quer, nunca tem tempo, nunca tem dinheiro. Mas se você souber onde investir seu tempo e recursos, no lugar de peso na consciência você sentirá realização, e o sentimento de realização te faz feliz. Gente feliz é gente alegre, motivada, radiante. Esse sentimento vai te ajudar a realizar mais e mais sonhos e quando você olhar para trás vai perceber quão longe você chegou.

Venho aplicando esses conselhos na minha vida pessoal, e aos pouquinhos tem dado certo. Em passos lentos venho me sentindo mais feliz e realizada, e as mudanças na minha vida já começaram a aparecer. Eu comecei aprendendo que não vale à pena comprar algo só porque está barato ou na promoção e ter uma casa cheia de coisas que você não queria. Aprendi que me sinto mais realizada com apenas algumas poucas coisas que eu amo muito e que eu sempre quis, mesmo que tenham sido mais caras e demorado mais para comprar. Minha família e eu nos mudamos para um apartamento novo e maior, que era nosso desejo há mais de 1 ano e que conquistamos esse ano. Estamos muito felizes com essa nova etapa nas nossas vidas e venho aplicando essa regrinha em várias áreas da vida. Desde à escolha do que fazer no final de semana, do que fazer nas tarefas domésticas, do que tomar de café da manhã, até nas grandes decisões, como profissão, viagens internacionais, casamento, etc. Ainda estou realizando as de curto e médio prazo, vamos aguardar as de longo prazo nos próximos anos. 😀

Então, será que é muito difícil seguir esses pequenos passos? Saber o que você quer e na hora das decisões saber eleger as prioridades? Tenta só um pouquinho e depois me conta aqui nos comentários.

Anúncios

Em quem eu me inspiro?

Oi gente, tudo bem?

Hoje resolvi escrever a respeito das mulheres que me inspiram na vida, tanto na moda quanto no comportamento. Escolhi as 3 principais e vou destacar os pontos principais porque me inspiro em cada uma.

Começando pela minha musa suprema e eterna Audrey Hepburn. Eu amo tudo referente aos anos 50 e 60, e quando assisti ao filme Breakfast at Tiffany’s (Bonequinha de Luxo) em 2006 ( o filme é de 1961) me apaixonei pela Audrey, e fui assistindo vários outros filmes em que ela atuou, como A Princesa e o Plebeu, Cinderela em Paris. Em seguida comecei ler sobre a história dela e me encantei  ainda mais ao saber que assim como é linda e chic por fora ela é tão bonita quanto por dentro. Ao longo de sua vida ele se engajou em diversas causas humanitárias. O que me encanta no estilo dela é o minimalismo, alfaiataria e cintura marcada. Adoro também as maquiagens usadas por ela, que são com os olhos e sobrancelhas mais destacados.

A minha segunda inspiração vem da Olivia Palermo. Não tem como não amar as produções dela, sempre elegantes e com muita feminilidade. Sem falar nos cabelos maravilhosos dela. Adoro como ela sabe combinar as peças de maneiras nada óbvias. Vejam alguns exemplos:

Para finalizar minha blogueirinha favorita (que inclusive está gravidinha de seu primeiro baby) Paola Alberdi. De origem mexicana, a Paola mora em San Diego nos EUA com seu marido Hector. Os dois formam um casal muito fofo, estou sempre acompanhando as postagens dela no Instagram @blankitinerary. Ela posta os looks e também sobre as viagens e life style do casal. ❤ 

Então pessoal, essas três lindas e estilosas são as minhas principais inspirações atualmente. O que acharam? Espero que tenham gostado e que possam se inspirar nelas também. Até a próxima

O que eu diria à Juliana de 5 anos atrás?

Volta e meia eu gosto de parar e refletir sobre a vida. Sério, eu penso muito! Inclusive um fato interessante é que eu não gosto muito de ouvir música no carro, ou de deixar televisão ou outros equipamentos barulhentos ligados se eu não os estiver usando. Isso porque tenho a impressão de que o barulho externo me impede de ouvir meus próprios pensamentos. Quer dizer então que eu amo ficar no silêncio ouvindo meus pensamentos, refletindo sobre a vida e sobre minhas atitudes.

Por essa razão não pude perder a oportunidade de escrever sobre o tema. Estava refletindo sobre como nós evoluímos e como amadurecemos com o passar dos anos. O interessante é que sempre achamos que já somos muito maduros, até se passarem alguns anos e olharmos para trás para percebermos o quanto estávamos enganados e éramos imaturos.

Há 5 anos eu tinha 25 anos e estava aprendendo a ser mãe. Tive meu único filho, Bruno (hoje com 6 anos) aos 24 anos, então nos meus 25 ele estava completando seu primeiro aninho de vida (que amor). Apesar de ter acontecido várias coisas legais 1 anos antes (2011), como eu ter passado em concurso público, o nascimento do Bruno, eu ter iniciado um relacionamento, estar cheia de planos, eu ainda não me sentia completa. Ainda me faltava muito conhecimento sobre mim. Então resolvi listar aqui 5 coisas que eu diria à Juliana de 5 anos atrás:

1 – Preste mais atenção à si mesma e ao que você mesma gosta e quer.

Eu demorei muito para saber quem eu sou, o que eu quero, do que eu gosto, e aceitar isso. Aceitar quem eu sou. Isso porque eu sempre achei que o que eu queria, do que eu gostava, quem eu era não eram coisas que alguém deveria ser, querer ou gostar. Sempre achei que eu deveria ser diferente e muito melhor de quem eu realmente sou. Isso me fez “perder” alguns bons anos na vida, mas prefiro pensar que nada é perdido, e que tudo o que for aprendizado nunca terá sido em vão. Então eu diria para mim mesma: “Aceite-se como você é. Aceite os seus gostos e sua personalidade. Você é única e não é melhor nem pior do que ninguém por ser quem você é.”

2- Aprenda que quem te ama é gentil, te respeita, te valoriza, te admira, é seu fã número 1. Não aceite nada menos do que isso.

A falta de conhecimento sobre o que é o amor nos faz passar por alguns momentos nada agradáveis nos relacionamentos. Por não conhecermos nada melhor, é possível que aceitemos tratamentos que não são nada dignos de pessoas que realmente amam. Por exemplo, xingamentos, violência, traições, críticas para te diminuir não são nada ok, e não devem fazer parte de um relacionamento. Não aceite uma relação que traga alguma dessas coisas. Perdoar o erro 1 vez, ok, 2 vezes, dependendo, ok. Mas quem incorre em algum desses erros repetidamente, mesmo você deixando claro que não aceita, não merece o seu amor.

3- Faça o que você quer e o que você gosta sem esperar pelos outros.

No passado eu errei muito, deixando várias oportunidades de fazer coisas legais que eu adoraria fazer por conta de ex parceiros que não poderiam me acompanhar ou que não queriam me acompanhar. Quando eu estava nos meus relacionamentos passados deixei de fazer coisas de que hoje me arrependo, porque aquelas pessoas não eram as certas, então não valeu à pena ter aberto mão delas por pessoas que não valeram à pena. Então eu diria: ” Se ele te ama, vai te acompanhar no que for para te fazer feliz, ou se não puder ir, vai confiar em ti e te deixará realizar seus sonhos”. Uma prova disso é que no meu relacionamento atual, ele me acompanha até em eventos de moda e beleza, sem reclamar nadinha. ele vai porque sabe que eu gosto, e quer me ver feliz. 🙂

4- Não perca nenhuma oportunidade de fazer uma viagem.

Eu amo muito viajar, acho que quase todo mundo, né. No entanto eu faço isso muito menos do que eu gostaria, em parte pela razão do item anterior e em outra parte por conta de não querer ir sozinha (esperar pelos outros). Já perdi várias oportunidades de viagem por pensar demais. Viajar é um investimento maravilhoso, nada se equipara à férias viajando, conhecendo novos lugares. Eu amo observar as pessoas, olhar o que vestem, o que comem, com quem conversar, sobre o que conversam. Para mim o melhor em uma viagem é observar a cultura presente naquele local, como vivem as pessoas de lá, como viveram as pessoas lá no passado. Eu amo saber a história das coisas, amo imaginar como era a vida no passado e nas diferentes culturas existentes.

5- Não se preocupe tanto com o tempo.

Eu tenho uma mania chata de achar que sempre estou atrasada no tempo. Que já deveria estar lá na frente, com toda a vida resolvida e isso sempre me afligiu demais. Eu vivia com a cabeça e os pensamentos no futuro achando que já deveria ter feito isso ou aquilo à essa altura da vida. Inclusive sempre ouvi que sou lerda e demorada para fazer as coisas. Mas fazer o que? Eu sou assim, posso ser devagar, mas não fico parada. Hoje sei que a verdade é que não existe um tempo certo geral para nada nesse mundo. O que eu quero dizer é que não preciso me preocupar em me formar na faculdade com 23 anos, casar antes dos 30, ser mãe antes dos 35 anos. Nem mesmo devo me preocupar em existir uma ordem para essas coisas. Eu fui mãe aos 24 anos, me formei na faculdade aos 28 anos e até hoje ainda nem me casei. Já cheguei aos 30 anos e não estou mais desesperada para nada, hoje vejo é que não existe um tempo certo geral para todo mundo. As coisas acontecem em momentos diferentes para pessoas diferentes. Vá no seu tempo, faça o que é possível ser feito. Eu posso ter demorado mais do que algumas pessoas em certas conquistas, em outras eu fui mais rápida. Mesmo que você demore para tudo, não se compare à outras pessoas, apenas viva à sua vida no seu tempo e no seu ritmo.

Olha aí eu em 2012, 5 anos atrás. Tinha esse cabelão comprido e estava começando a ficar loira. Ainda ia para balada, coisa que não faço há uns 2 anos, estava feliz no emprego, feliz com o Bruno, mas sentia que faltavam várias coisas. Hoje mais madura aprendi que o vazio é a falta de autoconhecimento. Ainda estou no caminho, mas percebo que hoje me sinto muito mais completa. Então convido vocês a fazerem essa pergunta a si mesmos: O que diriam a si mesmos de 5 anos atrás? Espero que tenham gostado desse tipo de postagem em formato de texto. Me digam o que acharam eu se eu deveria fazer outros nesse estilo com outros temas.